Conheça os programas de pesquisa e iniciação científica da FTC

Núcleo de Inovação Tecnológica
Conheça o Núcleo de Inovação Tecnológica da FTC
21 de Fevereiro de 2018
Transferência externa
Transferência externa FTC: o que é e como funciona
21 de Fevereiro de 2018
Iniciação científica

A iniciação científica e a pesquisa são pontos muito importantes a serem trabalhados na graduação. Conheça como se desenvolvem na FTC.

Hoje, um dos maiores desafios do ensino superior é formar profissionais capazes de buscar conhecimentos e de saber utilizá-los. É necessário que o indivíduo, ao estar diante de um problema para o qual ele não tem a resposta pronta, saiba buscar o conhecimento pertinente e, se preciso, encontre, ele próprio, as respostas por meio de pesquisa. Por isso, as atividades voltadas à solução de problemas e para o conhecimento da nossa realidade tornam-se importantes instrumentos para a formação dos estudantes.

A Iniciação Científica, ou seja, inserção do aluno de graduação em projetos de pesquisa, é um instrumento valioso para aprimorar qualidades desejadas em um profissional de nível superior, bem como para iniciar e estimular a formação daqueles que têm vocação para a pesquisa. Daí a importância de escolher uma faculdade que proporcione este incentivo.

 

Como funciona a Iniciação Científica na FTC?

Na FTC, a iniciação científica permite ao aluno de graduação despertar a vocação para a pesquisa científica, desenvolvendo um espírito profissional e ético e colocando-o em contato com grupos e linhas de pesquisa.

Além disso, o estudante é orientado por pesquisadores experientes, tendo a oportunidade de aprender técnicas e métodos científicos, bem como receber o estímulo para desenvolver o pensamento científico e a criatividade. Tudo isso resultado das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa. As atividades de pesquisa na FTC estão incluídas em cinco grandes áreas do conhecimento:

  • Ciências Sociais Aplicadas;
  • Ciências Biológicas;
  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Ciências da Saúde;
  • Ciências Humanas.

A FTC  possui 16 grupos de pesquisa cadastrados no CNPq; com 94 pesquisadores, sendo mais de 90% doutores e 113 estudantes de Graduação, Mestrado (do programa de Mestrado em Bioenergia da FTC e da UFBA) e Doutorado (UFBA) que realizam as atividades de pesquisa nas dependências das Unidades da Rede FTC. Os grupos são multidisciplinares e transdisciplinares, envolvendo professores de uma mesma área ou de áreas distintas.

Mais um diferencial da FTC neste segmento é o trabalho do Comitê de Ética em Pesquisa do Instituto Mantenedor de Ensino Superior da Bahia (CEP/IMES) junto aos grupos de pesquisa a à Iniciação Científica. O comitê, criado em fevereiro de 2006, identifica, analisa e avalia as implicações éticas nas pesquisas científicas que envolvam seres humanos.

É dele o papel de fazer uma avaliação ética de qualquer projeto, desde que esteja conforme os padrões metodológicos e científicos reconhecidos, que seja realizado com a participação de pesquisadores, tecnologistas, analistas ou alunos da FTC e outras Instituições de Ensino Superior.

 

Como identificar se nasci para ser pesquisador?

Ficou interessado? Antes de pensar no tema de uma pesquisa que tenha despertado o seu interesse, reflita: você tem o perfil de pesquisador? Não é todo mundo que apresenta uma vocação para este universo e, muitas vezes, acabam desistindo logo no começo. Para saber se esta é mesmo a sua área, faça a si mesmo as seguintes perguntas:

  1. Sou curioso?
  2. Gosto de ler?
  3. Gosto de me aprofundar sobre diversos assuntos?
  4. Tenho a intenção de melhorar o mundo?
  5. Estou sempre querendo ver o lado escondido dos fatos?

Se sua resposta foi “sim” para, pelo menos, três perguntas, talvez você esteja no caminho certo. O pesquisador é aquele que busca conhecimento mas, mais do que tudo, sabe usá-lo a seu favor.

O caminho mais comum para a maioria dos graduandos que passa a se interessar por pesquisa é se envolver com a monografia, quando o curso já está chegando ao fim. O trabalho de conclusão tem caráter científico e obriga o aluno a definir um objeto de estudo.

Depois de definido o tema que deseja estudar, o aluno designa um professor (orientador) para ajudá-lo nesse processo, que inclui uma extensa bibliografia, etapas maçantes, mas também proporciona muitas descobertas interessantes e estimulantes. Para que isso aconteça, é necessário que o aluno escolha um tema que ele realmente tem interesse em se aprofundar, pois serão meses a fio tratando de várias camadas e nuances de um mesmo assunto.

Para aquele aluno que, desde cedo, se interessou pela iniciação científica, os textos de divulgação podem ter grande peso ao currículo. Textos como esses têm o formato de artigos de mais ou menos 20 páginas, e são voltados para a comunicação oral em simpósios, seminários e congressos, para depois serem publicados em revistas da área, atas ou em forma de sinopse.

Já o projeto de pesquisa é aquele que pode ser chamando de planejamento da pesquisa. Ou seja, são as hipóteses que o aluno pretende gerar, a partir de um tema. Da investigação dessas hipóteses nasce a pesquisa mais aprofundada, que terá o objetivo de encontrar uma solução para um possível problema. Os projetos de pesquisa não são tão complicados quanto as monografias e podem ser realizados ao longo do curso, dentro de qualquer disciplina ou mesmo interdisciplinares.

Como escolher um tema de pesquisa de Iniciação Científica?

Aí vão algumas dicas para te ajudar a escolher um tema para sua pesquisa, caso seja esse o caminho que você deseja seguir na graduação:

Descubra quais são suas áreas de maior interesse: pare para refletir e procure entender melhor o que você gosta. Depois disso, verifique as linhas de pesquisa no seu curso;

Seja curioso: Converse com alunos veteranos sobre as experiências deles e procure saber quais são os pontos negativos e positivos de suas experiências acadêmicas. Depois de aprender com a voz da experiência, veja quais são os professores que estão dispostos a discutir um subprojeto com você ou que precisam de alunos interessados em desenvolver pesquisa;

Pesquise sobre projetos de professores: Veja quais são os projetos dos professores que são formalmente cadastrados junto ao órgao de pesquisa da sua faculdade;

Fique atento aos prazos: Vá concebendo o seu subprojeto junto ao seu professor orientador conforme o projeto dele e fique atento aos prazos.

Independentemente da área e do tema que te interessar mais, é muito provável que as experiências científicas lhe trarão mais conhecimento e ferramentas para desenvolver suas ideias no mercado de trabalho.

Tudo isso pode levar você a se tornar um profissional de ponta altamente requisitado por empresas que buscam inovação em seus produtos e serviços. Mas lembre-se do seguinte conselho: nunca pare de estudar!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *